Flores: cor e alegria que agradam sempre

 

imagem de um canto de sala , com paredes com muitos quadros, em primeiro plano, um vaso com muitas flores coloridas, em tons: amarelo, branco, vermelho, roxo,

Carmen Rein é uma artista com plástica cujas obras – sejam em óleo sobre tela ou papel trabalhado – que prima por um bom gosto e requinte no acabamento invejáveis, como se pode ver nesses buquês.

Conheço Carmen há muito tempo e, ao longo dos anos ela foi desenvolvendo essa técnica de esculpir e recortar flores em papel tipo crepom encorpado com uma ousadia que se reflete nas formas arrojadas e cores vibrantes de suas criações

Para chegar a esse resultado o papel é prensado, recortado e moldado manualmente – e finalmente fixado em um suporte de arame.

Os tamanhos são os mais variados; desde os pequeno buquês, passando por buquês de noivas, arranjos para vasos de vários tamanhos e chegando até a versão Maxi Flor-móbile,  para grandes ambientes como saguões e hall de entrada..

É natural que o papel desbote com o passar de muitos meses,  por isso o ideal é  não colocar ao sol ou diretamente sob janela com muita claridade.

A poeira, que eventualmente se acumula, pode ser removida delicadamente com uma escova de dentes bem macia.

É uma grande pedida para vitrines – os franceses já descobriram isso, vejam que linda imagem de Paris –  e também pra ambientes comerciais como salas de espera.

vitrine de uma loja chamada Goyard Paris, onde bolsas em tons coral e preta, estão junto a três rosas enormes amarelas. Embaixo da vitrine está a inscrição: Bonne Fête des mères em letras douradas.

Tenho um vaso com  essas  flores bem  grandes,  lindas em branco e tons de bege e creme rosado na entrada de minha casa (onde não bate luz e as naturais não tem vez). E sempre que chego em casa, é como chegar a uma festa: sinto o coração se abrir de alegria!

 

Contato: carmen.barboza.rein@gmail.com ,

cel: 11- 9 8487 4868