A história das regras mais comuns de etiqueta

Algumas regras antigas podem confundir, pois foram adotadas há muito tempo e por um motivo que, hoje, pode ou não ser aplicado.

Tirar o chapéu ao entrar em um edifício – no passado, as pessoas passeavam por estradas de terra empoeiradas ou cidades industriais com fuligem no ar. Fazia sentido tirar o chapéu por uma questão de higiene e respeito.

Hoje, essa regra é flexível, a única vez em que você absolutamente deve segui-la é quando seu chapéu obstrui a visão de alguém ou se você está em uma situação social que torna embaraçoso não fazer isso.

Mas, de verdade? Continuo achando que é melhor tirar sempre…

Sentar com os tornozelos cruzados – mães e avós costumavam dizer às meninas que elas sempre deveriam se sentar eretas com os tornozelos cruzados de uma maneira feminina. Na verdade, os tornozelos cruzados ajudam a manter o equilíbrio com muito mais conforto com a coluna ereta.

Não é à toa que rainhas e princesas, sempre mais expostas sentadas, ficam nessa posição. Que na verdade se tornou regra por puro conforto.

Ok, sentar em linha reta é uma boa regra, mas os tornozelos cruzados não são mais necessários…

Os homens andam na calçada do lado da ruaquando o cavalo, carroças e carruagem eram o único meio de transporte, os homens protegiam as mulheres dos perigos das ruas (lama e poeira eram comuns). Hoje isso não é mais necessário; portanto, caminhe pelo lado da calçada em que você se sentir confortável.

Mas,  acho elegante (e muito fofo)  quando um homem automaticamente passa para o lado de fora quando estou caminhando junto…

Puxando a cadeira de uma senhora – as mulheres da alta sociedade usavam roupas tão restritivas que eram incapazes de se sentar à mesa sem a ajuda dos cavalheiros com quem estavam. Sem falar que, as cadeiras eram pesadas e enormes, difíceis mesmo de administrar – ainda mais em um figurino desse…

Hoje as mulheres usam calças ou saias e o mobiliário  ficou mais leve, não precisam mais desse tipo de ajuda.

Um homem deve sempre pagar – antes, os homens tinham carreiras e as mulheres não (embora muitas vezes tivessem empregos). Essa regra está claramente desatualizada. A conta pode ser paga por ele, ela ou dividida. Em outras palavras, não importa quem paga tanto quanto alguém.

Alguns homens ainda mantêm a velha regra de sempre pagar, o que é bom, desde que a outra pessoa, concorde.

A coisa mais importante a lembrar é mostrar respeito pelos outros, e isso geralmente significa seguir as normas da sociedade. Se você sair do país, aprenda o que é considerado adequado onde quer que vá, para não parecer grosseiro ou rude.




Mesas, Meseiras, Table Décor e Cerimonialistas

 

As Meseiras – resgataram o prazer de montar uma mesa dedicando a isso tempo – para que refletisse através de detalhes (e com beleza) o carinho e importância contido em uma reunião, partilhando uma refeição ao redor da mesa.

Em poucos anos – e alavancando um importante nicho de mercado tanto de vendas quanto de eventos – as Meseiras formaram grupos em seus estados mesmo fora deles. Além de valorizar o convívio em família e amigos. Mesaposta  voltou a ser assunto sério .

Mas é preciso entender os outros conceitos:

Cerimonialista – no conceito amplo e correto da palavra, é a pessoa que participa de um evento desde o seu planejamento, acompanha a montagem e participa do mesmo até o final – coordenando ou em outra função específica.

Precisa, para isso, conhecer o Decreto Federal e o Protocolo Internacional também no que se refere a eventos. Ou seja, tem uma sólida formação técnica que lhe permite exercer a função.

Dentro desse conceito, um Cerimonialista entende de Mesaposta pois precisa conhecer precedência, acessórios e plano de mesa para montar, por exemplo, um jantar entre autoridades.

O contrário não se aplica: Meseiras, não tem obrigação de conhecer Cerimonial em profundidade mas, (e aqui faço um apelo a todas elas) devem se esmerar para entender e aplicar as regras de Etiqueta sem extrapolar nem se entregar a muita experimentação!

Explico: levamos séculos para aprimorar a Mesaposta que tanto apreciam mas,  por excesso de entusiasmo e as vezes por desconhecimento, vejo abusos sobre a mesa de algumas meseiras mais entusiasmadas. Muita calma…

Table Décor– é preciso separar as coisas: mesaposta é uma coisa – aquela que usamos em casa e para comer de verdade e partilhar momentos. Table Decor é aquela mesa montada em vitrines ou exposições para vender – e aí vemos excesso de itens, cascalhos e florestas montadas no centro da mesa (que em ambiente doméstico ou para comer não se justifica).

As duas fotos abaixo por exemplo estão lindas para expor itens e acessórios. Mas reparem nos excessos: arranjos de flores e velas muito altos e, na da direita o vasinho (que não deve estar sobre o prato) sobre outro pratinho e uma cumbuca que provavelmente não será usada … Ou seja, uma mesa pensada para a foto mas, certamente inconveniente para esse comer na pratica

Como o nome diz: é uma mesa decorativa. Mas na prática inviável para refeições – principalmente as oficiais ou mais formais.

E agora vejam a diferença da mesa abaixo montada para um almoço ao ar livre na Casa do Anfitrião em São Paulo: com exceção das flores, todo o resto ali tem uma função e lugar especifico. Isso, assim como as duas fotos que abrem esse post, é Mesaposta.

 




Programa “Todo Seu” de Ronnie Von na TV Gazeta




O que é ser elegante?

 

Segundo a professora Astrid Bodstein, com quem concordo completamente, ser elegante é ser deliciosamente simples. Singelo. Singular!!!

Ser elegante é ser paciente com os outros – Inclusive em seus momentos de maior dificuldade. É saber se calar na hora certa, é saber observar e guardar  para si algo que possa constranger o seu próximo.

Ser elegante é saber oferecer um feedback com amorosidade… mesmo quando estamos desestruturados internamente.

Ser elegante, é dominar a arte da empatia – colocando-nos no lugar do outro….de acordo com os pontos de vista e valores dele.

Ser elegante é vencer a tentação de julgar quem está por perto (ou mesmo longe). Já dizia um antigo ditado judeu:  para julgar, é preciso conhecer. E se você conhece, você não julga!!!

Ser elegante é saber estimular mesmo quando tudo parece perdido em meio a tantas complicações. Mas, estimular com o coração… não apenas com palavras vazias.

Ser elegante é saber ser agradecido em todas as ocasiões. Ser elegante é querer ser companheiro em todos os momentos possíveis.

A professora Astrid, acerta cirurgicamente em cada palavra, não acham? Ainda mais em tempos como o que estamos vivendo, com todos os ânimos tão acirrados… Mais amor, atenção e delicadeza só podem fazer bem – não se pode negar!

E se quiserem seguir o perfil da Professora Astrid no Instagram, vão se deliciar com seus videos, pinçados com cuidado sobre a nobreza europeia – da qual pode-se dizer tudo menos que não são elegantes…

Astrid Bodstein no Instagram: @royaltyandprotocol

Contato para palestras – (65) 999651984




Como e porque usar dois guardanapos – de pano e de papel

 

Veja nesse vídeo que há um motivo para aquele guardanapo de papel (napkins) menor estar estrategicamente  colocado entre o guardanapo maior de pano.

Embora você não tenha duas bocas, você vai ver que é possível sim encontrar um bom uso para os dois guardanapos!