Quando uma Casa não basta

BICASAS, pessoas com segundas casas – grupo que me incluo e que observo estarrecida a falta completa de consciência, cidadania e, claro, o mais simples e puro bom senso.

Eles têm casas na praia ou no campo e, assim que viram que a quarentena iria durar, ficaram num ir e vir de suas casas como se fosse uma temporada extra de férias.

É o pavor de se ver limitados a uma só casa?!

Falo pelos meus 105 vizinhos do condomínio de nossa casa no Litoral Norte de São Paulo – além de outros conhecidos e familiares.

Viajar não é uma opção – quando questionei minha vizinha da praia ela rebateu: ah, mas só a gente na praia não tem problema, tem?

Tem, claro. Em uma semana eram ela e todo um Maracanã de proprietários circulando pelas praias do Litoral Norte, enquanto os prefeitos desesperados faziam apelos para que todos não descessem a Serra. Em pouco tempo os apelos se tornaram proibição de ir a praia com direito a multa e prisão.

Quando vocês voltam? – perguntei a uma amiga que me ligava querendo saber como estava. Pasma, ouvi que o marido tem ido e voltado de 3 em 3 dias para fazer supermercado, farmácia… pois em Sampa tem mais estrutura…

Que mal tem isso? MUITO! São Paulo é um foco de Covid-19. O sujeito vem, circula com ou sem máscara, não importa – mas traz comida, caixas e leva para sua casa de praia. Beleza. Se, por um azar do destino descer algum bichinho junto e ele e a patroa pegarem Covid-19, não tem problema; entram no carro e sobem a serra. E tentam uma vaga em algum dos muitos hospitais da cidade.

Deixam para trás a casa infectada. O caseiro/a que se não estiver, vai pegar ao limpar a casa – e muito provavelmente outros com quem tenham tido contato.

Esses trabalhadores ao contraírem Covid-19, fatalmente a espalharão para a família e comunidade e… adivinha?? Não podem subir a serra para se tratar. Contam só com o precário sistema de saúde local que, muitas vezes nem pronto socorro tem.

O que adianta falar em fazer o bem, plantar árvore, mandar vídeo de cantoria em homenagem aos profissionais de saúde e agir dessa forma leviana, egoísta e ignorante?

Qual será a parte de isolamento social que os BiCasas não entenderam? Não pode ser tão ruim assim ficar em suas próprias casas, aturando a própria companhia ou dos filhos, parceiros e pais (que precisam de cuidados extras e não merecem ser abandonados com cuidadores enquanto eles vão “respirar” ar puro).

Não estou julgando. Ok, estou. E desabafando. E pedindo que, se você, como eu for um BiCasa, fique na primeira delas.