Por que respeitar as Tradições?

Presidente Barack Obama , vestindo terno escuro, em visita a Casa Imperial do Japão, ele é recebido honrosamente pelo Imperador Akihito do Japão e a Imperatriz Mitiko, onde Presidente Obama faz a reverência tradicional japonesa, curvando-se noventa graus o seu tronco. E o Imperador vestindo terno jaquetão preto , camisa branca e gravata preta, oferece a mão para o cumprimento tradicional ocidental.

Não importa se estamos falando de tradições culinárias como o prato preferido da infância, das festivas quando as lembranças se misturam a sensação de júbilo ou fé, ou simplesmente da forma como as pessoas se cumprimentam e se vestem.

Acredite: tais detalhes importam mais do que parece. Por isso, ao mostrar que você não apenas conhece como é feito no país do outro, mas que também respeita a forma a ponto de fazer igual, estará falando diretamente ao coração do seu interlocutor.

É por esse motivo que poderosos do mundo todo não hesitam em usar as tradições do país de seus visitantes – ou mesmo dos que visitam.

Repare como o Barack Obama,  faz a curvatura a perfeição ao Imperador Akihito do Japão. Na época foi criticado por um jornalista americano ignorante, que disse que tinha vergonha de ver seu presidente curvar-se dessa forma. Na verdade ele devia ter orgulho do gesto elegante do Obama.

Rainha Letícia da Espanha, jovem, magra, cabelos castanhos claros e longos, sentada com as pernas cruzadas e as mãos apoiadas junto ao joelho, num banco do Gabinete Real, ela veste um tecido de renda preta,

Aliás, a igualmente elegante Rainha Letizia da Espanha em visita ao Reino de Marrocos,também não pisca e tira os sapatos para respeitar a tradição local.

Quem sabe das coisas é assim: não tem vergonha de aprender e incorporar – e ainda capricha no gesto.