Case e arrase Etiqueta sem Frescura

Moto-Noiva – salva noiva depois de vários adiamentos do casamento

image_pdfimage_print

 

 

Em Oaxaca, no sul do México, Alma Santiago, estava prestes a extrapolar o  limite,de atrasos permitido até para noivas – pois havia um bloqueio feito por comerciantes impedindo-a de chegar à igreja.

A situação já estava desesperadora com o primo da noiva pedindo ajuda para leva-la à igreja- até que um homem de moto apareceu.

Como só conseguiram se casar graças à boa ação do desconhecido, os recém-casados decidiram publicar um vídeo no Facebook pedindo ajuda para encontrar o motociclista.

Uma postagem do site Notícias de Oaxaca Voz e Imagen, com as fotos da moto e a noiva a caminho do casamento, foi compartilhada  e bombou nas redes.

O motoqueiro, oriundo de Putla Villa de Guerrero, foi localizado ainda durante o fim de semana graças à publicação da prima de Santiago no Facebook, mas recusou qualquer dinheiro  “Só me mandou uma mensagem me dizendo que não queria nenhum tipo de compensação e que lhe dava muito gosto ter me ajudado a chegar ao meu casamento”, narra a recém-casada de 32 anos.

 

Entenda o nervoso de Alma Santiago-  ela conta que seu noivo, de 27 anos, e os seus sogros viveram uma odisseia para poder pedir a mão da moça na casa dos pais dela, na localidade de Asunción Ixtaltepec pois em junho de 2017, o furacão Beatriz deixou dezenas de povoados incomunicáveis em Oaxaca, incluindo Asunción de Ixtaltepec.

“Meu noivo e meus sogros precisaram adiar o encontro na casa dos meus pais para pedir a minha mão”, conta.

Segunda tentativa – pouco depois, houve uma explosão na refinaria de Salina Cruz, e o evento teve de ser novamente postergado, até que pôde acontecer no começo de julho. A união religiosa foi marcada para 25 de novembro na região interiorana do Istmo .

Terceira tentativa – mas as complicações para o casamento entre Alma e Pablo não pararam por aí! Em 7 de setembro, o terremoto de magnitude 8,2 registrado no sul do país devastou a região do Istmo de Tehuantepec, e de maneira muito particular o povoado onde vivem os pais de Santiago. “Com o terremoto passamos mais de um mês ajudando a minha família, os desabrigados, levando alimentos e fazendo trabalhos”, recorda.

A igreja onde o casamento ocorreria ficou muito danificada pelo tremor, e por isso a cerimônia precisou ser cancelada. “Meu sogro foi quem nos disse que devíamos resolver a questão da igreja, e já estava muito em cima da hora, em meados de outubro”, comenta a mexicana.

Foi então que o casal decidiu consultar um sacerdote amigo da família, que lhes recomendou que fossem diretamente à catedral da capital, onde lhes atribuiriam uma paróquia na qual celebrar o casamento. “A surpresa foi que, depois de escutar nossa história, o padre nos disse que nos casaríamos na própria catedral”, relata.

Espera que compensou – o casal conta que o trâmite para celebrar um matrimônio no altar maior da catedral de Oaxaca, costuma levar até um ano, razão pela qual eles se mostraram muito entusiasmados quando receberam a notícia. “Por isso eu tinha tanta pressa de chegar”, diz Santiago. “Meus pais também chegaram tarde por causa do bloqueio, mas afinal todo saiu muito bem, e até fomos notícia na Internet”, diz.

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

Sem comentários

Deixe um comentário