Chá: como os pequenos agricultores norte-americanos estão criando uma nova indústria

 

Embora o cultivo do chá tenha uma história de milênios na Ásia, ele praticamente não tem nenhum nos EUA. Agora, uma nova safra de produtores de chá dos EUA está lutando para mudar isso.
 Embora o cultivo do chá tenha uma história de milênios na Ásia, ele está praticamente nascendo nos EUA onde,  uma nova safra de produtores de chá dos EUA está lutando para mudar isso. Foto: AP

Como uma garota que cresce na Coreia do Sul, Unchon Ramos lembra que sua mãe sempre dava chá verde para beber na hora de dormir, quando não se sentia bem.

“E quando ela lavou meu cabelo, ela sempre colocou um par de folhas de chá verde na água”, disse Ramos.

Lentamente, ela aprendeu sobre os muitos benefícios do chá verde: que ele é carregado com antioxidantes, que impedem que as células do corpo se deteriorem, e que pode melhorar a função cerebral e aumentar a funcionalidade do sistema imunológico. O chá verde também é rico em flavonoides, associado à redução de doenças cardiovasculares e à prevenção do câncer. Um estudo realizado em 2007 pelo Departamento de Agricultura dos EUA descobriu que uma única xícara de chá verde fermentado tem sete vezes mais flavonoides do que o chá preto, nove vezes mais que uma única maçã, e quase cinco vezes mais que um copo de vinho.

Então, quando Ramos e seu marido, Louis, decidiram comprar uma antiga fazenda abandonada na Virgínia em 2012, não demorou muito para decidirem o que cultivar. Hoje eles administram a Virginia First Tea Farm, que vende sabonetes, xampu, saboneteira e sabão em pó!!!  Todos produzidos com  chá verde cultivado nessa fazenda na Virgínia.

Preparando uma indústria local

O próximo passo para eles é  processar chá verde para beber. Existem apenas cerca de 30 fazendas estabelecidas nos EUA cultivando Camellia sinensis, o arbusto de onde são produzidas todas as variedades de chá. Embora esse número seja pequeno, triplicou desde 2011 e o consumo está crescendo cerca de 5% ao ano…

“As pessoas estão realmente preocupadas com suas fontes de alimento e com a pegada de carbono”, disse Judson LeCompte, pesquisador associado do Departamento de Ciências Vegetais e de Solo da Universidade Estadual do Mississippi, que abriga um dos maiores programas de pesquisa de chá do país.

Aprendendo com os mestres

“No início, ficamos tipo ‘isso soa muito difícil’”, diz Joanna Ramos, filha de Unchon e co-proprietária do negócio. “É muito experimental, ainda está em sua infância, mas está indo bem até agora. Somos capazes de obter chá verde suficiente para usar em nossos sabonetes. ”

A Virginia First cultiva as plantas de chá usando métodos orgânicos, embora a empresa ainda esteja trabalhando para obter certificação orgânica oficial. As ervas daninhas são puxadas manualmente e não são usados ​​pesticidas ou fertilizantes químicos.

Mas  a maioria dos produtores de chá dos EUA ainda não está usando métodos orgânicos, e ainda estão experimentando seu material vegetal e aperfeiçoando seu ofício. E  a vantagem é que suas fazendas são  muito pequenas, e eles têm melhor controle de qualidade sobre os lotes que possuem.

Enquanto muitos sabonetes usam produtos de origem animal como leite e glicerina (muitas vezes feitos de gordura animal), e enchimentos como o glúten, a família Ramos adere a ingredientes básicos que são obtidos localmente sempre que possível. Por exemplo, alguns de seus produtos incluem pepino e frutas secas, que são obtidos de fazendas orgânicas locais.

Um lote de folhas de chá e outros ingredientes sendo fabricados para fazer xampu e condicionador Virginia First Tea Farm.
 Um lote de folhas de chá e outros ingredientes sendo fabricados para fazer xampu e condicionador Virginia First Tea Farm. Foto: Joanna Ramos

A família começou a vender sabonetes boca-a-boca e nos mercados locais de fazendeiros na região de Williamsburg, Virgínia. Lentamente, os mercados locais de alimentos naturais concordaram em levar seus produtos. Este ano, sete Whole Foods Markets se tornaram distribuidores.

“Eles são extremamente populares”, diz Morgan Franklin, gerente assistente da Natural Foods da Rebecca em Charlottesville, Virgínia, e uma das primeiras lojas a oferecer os produtos da Virginia First Tea Farm.

Em seguida, Unchon quer começar a vender chá para beber. Mas primeiro, a família deve adquirir instalações para secar e assar as folhas. A Unchon espera que os primeiros produtos de chá para beber sejam produzidos no início do próximo ano.

“Nós não estamos tentando estar em todos os supermercados, porque isso seria apenas um padrão ridículo para manter a nossa qualidade”, diz Joanna. “O objetivo é ser capaz de manter nossa qualidade e não se preocupar com a quantidade.”




Dicas para desfrutar um bom vinho

wine-cup-black-white_claudiamatarazzo

1- Harmonizar – é mais fácil que parece: basicamente você toma vinho tinto com carnes vermelhas e pratos condimentados e os brancos com carnes brancas e peixes. Mas não é tãaaaaaooo rigoroso assim. Até porque há os versáteis e leves rosés...

2- Perguntar não ofende – não se atrapalhe por pouco: peça ajuda ao maître – que está lá para tirar todas as dúvidas.

3- Experimente o gole de prova na taça sem medo. E se achar que “pegou na boca” diga isso antes de aceitar que sirvam os outros da mesa. Homem ou mulher, quem escolhe e pede é que prova o vinho.

4- Sem coreografia – não gire a taça de encontro a luz – isso é coisa de neófitos para mostrar que entendem de vinho. Já girar a taça sobre a mesa para que “solte o perfume “ é aceitável…

French actor Depardieu tastes his sparkling wine edition in Berlin

5– Sem comentários – não precisa comentar nada depois de provar. Nada de “bouquet amadeirado” “ou notas de orvalho da manhã”…

6- Se abrir outra garrafa peça para trocar a taça.

7- Vinho branco – valeWine-White-claudiamatarazzo a pena esperar um pouco mais para que gele bem. É melhor do que tomar fora da temperatura.

8 – Pecado – nem pense em colocar uma pedrinha de gelo para gelar melhor o vinho branco.

9- Dose certa – se estiver sozinho, sem dinheiro ou quiser beber pouco peça vinho em taça sem medo de ser feliz.

10- Brindes – pode brindar com alegria mas sem estardalhaço: não precisa bater as taças – basta ergue-las levemente. E sempre espere para dar o primeiro gole depois de feito o brinde.

 

 




Como fazer para decorar sua casa sem gastar muito.

cozinha com piso preto e branco apresenta fogão azul claro e geleiro amarelo. Ao fundo a prateleira é uma escada de prateleiras onde os potes e objetos coloridos enfeitam o ambiente...

 

Acontece que, em se tratando da nossa casa, não pode esperar: e é mais fácil transformar os ambientes e criar outro clima do que parece. O segredo está em pensar em modificar e caprichar em detalhes que fazem parte do nosso dia a dia e que, muitas vezes, passam despercebidos.

Dica: não tenha pressa: planeje, se prepar e vá curtindo aos poucos cada pequena mudança. Fiz isso há pouco tempo em casa e deu super certo! Por isso compartilho o passo a passo e algumas dicas:

Faça um lista – as possibilidades são muitas mas veja o que mais te incomoda e o que está mais em uso e a vista assim você desfruta mais da melhoria – e não apenas a visita quando vier …

Faço um plano – lista feita, pesquise, anote orçamentes e crie um cronograma para não se agoniar. A idéia é fazer o que dá para fazer e não se endividar…

Abaixo alguns exemplos do que você pode mudar sem enlouquecer e sem o inconveniente de uma grande reforma ou pintura:

Puxadores de gavetas – até pouco tempo atrás era apenas uma bolinha de madeira ou porcelana. Hoje, tem para todos os gostos e podem dar outra cara a gavetas, guarda roupas, cômodas, escrivaninhas….

uma tábua rústica está pendurada na parede e nela, vários puxadores coloridos estão servindo de ganchos para colares e correntes de bijuteria

Veja outros usos para os puxadores – avulsos ou não

Os mesmos puxadores podem ser usados como ganchos para pendurar correntes e colares. Ou tiaras, bandanas e faixas de cabelo…

Trincos – como no caso dos puxadores de gavetas, veja que diferença podem fazer – sem falar que, as vezes podem ser mais confortáveis de manusear no dia a dia…

Puxador de armário colorido em turquesa , amarelo e rosa, forma contraste interessante em porta de guarda roupa branca lisa

Almofadas – você pode comprar as capas prontas, mandar fazer com vários tecidos compondo exatamente do jeito que você imaginou e também pode aplicar bordados e brilhos em capas lavadas e restauradas…

Sobre um sofá de cor creme colocado em frente a uma janela , estão colocadas várias almofadas de fundo também creme porém estampadas com enormes flores de todas as cores. O efeito é de alegria e muita cor.

Experimente e veja como muda a cor do ambiente e todo o astral…

Potes de cozinha – porque é que os potes de alimentos tem que ser meia boca? Cor e beleza neles. Troque um a um se  for o caso, mas invista pois você e sua família estarão diante deles o tempo todo…Nada plásticos retutilizados….

3 potes retangulares em vidro turquesa empilhados com a tampa de vidro transparente canelada.

 

Panelas – ok reconheço que um jogo inteiro super bacana pode ser difícil de comprar de cara. Mas você pode comprar duas – aquelas que você acha que vai usar mais.

várias panelas em ágata colorida estão empilhadas formando um conjunto colorido sobre a bancada de madeira rústica. Em primeiro plano a frigideira está com legumes coloridos.

E depois acrescente uma por mês. Em 4 meses sua cozinha – e principalmente a comida feita – vai para outro patamar de qualidade…

jogo d panelas esmaltado em rosa choque está sobre uma bancada branca e dentro da frigideira e da carola os legumes verdes completam com o branco o contraste colorido.

Tampas de garrafas – bastam duas ou três bonitas e com boa vedação para que as garrafas agradeçam – e podem ir da geladeira a mesa e até ao bar igualmente bem acabadas….

várias garrafas coloridas e transparentes com tampas de rolhas em acabamento de vidro trabalhado - esmaltado ou pintado a mão.

Capacho – o nome já é horrível, e só porque ele fica na porta de serviço (por onde entramos com compras etc) não é motivo para deixar passar anos sem trocar. Uma vez por ano (ou até duas) compre um novo: e invista: um mais bonito e resistente, com borracha no acabamento e até mesmo desenhos se achar bacana…

Ok, Esses são só alguns exemplos. Mas existem muitos pequenos detalhes em uma casa que podemos melhorar (e aí você escolhe qual precisa mais) e, uma vez melhorados, darão todo um outro toque ao conjunto – trasformando o ambiente do seu lar em algo muito especial.

Não acredita? Pois faça e depois me conta!

um porquinho de cerâmica com a parte de baixo furada de modo que serve de separador de clara de ovo.

 




Como fazer para não morrer de tédio em segurança

Claro que uma reunião ao redor de uma mesa com boa comida é uma grande pedida, mas, quem disse que esse é o único entretenimento que podemos oferecer nessa volta do convívio para confraternizar em segurança?

Pensar em alternativas onde não haja a necessidade de tanto contato – e o eventual complicador do serviço implícito nas refeições, lembro aqui de algumas opções – onde a interação pode ser igualmente enriquecedora e divertida.

Dependendo do grupo de convidados pode-se pensar em:

1 filmes e séries – compartilhados juntos – por que não retomar o hábito de compartilhar em casa um bom filme ou série?

2 – Jogo de Cartas – por que não? Com baralhos novos e todos com mãos devidamente limpas não deveriam ser perigosos.

3 – Jogos de salão – de tabuleiro ou não. O bom e velho entretenimento analógico com peças higienizadas e jogos de dados individuais para minimizam o risco.

4 – Música em casa – lembram dos saraus? Pois é uma grande ideia: artistas ao vivo ou mesmo os de casa ao vivo e sem tanto contato…

5 – Aula/ palestra/ debate cultural – dependendo do tema, pode ser uma noite e tanto…

É importante deixar claro que, para quaisquer dessas atividades a segurança  aumenta à medida que há um controle do número de pessoas/espaços assim como observar a distância correta. Além claro, da higienização das mãos. Não é o novo normal. É o novo momento. Delicado e necessário. Se vier a ser normal, não deverá incomodar tanto – afinal normal (diferente ou não) é infinitamente melhor do que perdas de vidas sem sentido. E, com sorte, será o novo transitório.




Casa nova: mudança física e emocional!

Não se trata de ter que arrumar as coisas, desmontar o meu quarto, tudo… e ter que montar de novo. Não, não é isso… mas sim, o desmonte das memórias e lembranças.

Escolher o que quero levar para a nova vida (sim, encerro uma vida aqui e recomeço outra lá).

Lá em Sampa! Nem acredito que estou voltando,  minha cidade querida!

Estou ansiosa e tranquila… pode isso? Não vejo a hora de estar com meu quarto montado, meu cantinho, com as minhas coisas e a minha cara! Afinal, será lá meu “mundinho”, né? Eu já até tenho uma ideia de como vai ser. E vai ficar tão lindo! Bem diferente desse em que agora estou escrevendo. Não me entenda mal, adoro esse quarto, vivi grandes momentos nele, mas agora quero algo melhor…

Tudo isso em meio a tantas coisas novas e sensações e medos desconhecidos trazidos pela pandemia e por esse Novo Momento. Se você estiver pensando em mudar algo agora em sua vida, respire, pense que, qualquer mudança é difícil, cansa, enche o saco… (algumas literalmente rsrsrs). Mas depois de alguns dia e com a casa (ou a cabeça, ou o novo projeto) arrumada, é maravilhoso. Eu sei que vai ser!

Novas histórias, novas e antigas pessoas… um novo lugar pra chamar de meu! Que venha esse novo momento!