Suicídio entre jovens – Podemos evitar?

Estava lendo “Os 13 Porquês”, do Jay Asher, na época em que um desses casos aconteceu.  Nele, o autor faz você pensar em sinais quase imperceptíveis de que alguém precisa de ajuda. E contribui para que o tema seja repensado como algo comum, não somente exclusivo para pessoas solitárias. Qualquer um pode querer se matar  – e isso torna o livro difícil de ser lido.

Não é um livro sobre bullying, mas sobre como a forma que tratamos as pessoas, mesmo sem perceber, as afetam. Ou sobre como encaramos as coisas que fazem conosco, como lidamos com nossos medos, nossos traumas,  dúvidas e desesperos.

Tenho 32 anos com uma cabeça mais madura do que tinha aos 18, 20 anos (ainda bem). Sou uma pessoa adulta, que cresceu e consegue enxergar situações com lógica e racionalmente.

Já os jovens não: eles só vivem e sentem. Sentem os boatos, as dificuldades de adaptações, muitas vezes não se sentem queridos, notados ou compreendidos.

Nós não somos iguais. Cada um reage a uma determinada situação do seu jeito – o que é pesado para ele pode ser  simples e superficial para você. Mas dê a importância que ele acha que merece, não menospreze!

Por exemplo, um dos meus amigos… Ele era inteligente (um dos melhores da classe), engraçado, gentil, bonito e eu o adorava. Vivia fazendo piada e não tinha como ficar triste perto dele. Foram quase quatro anos ao seu lado e um dia, nosso amigo se foi. Não vem ao caso colocar como foi… A mãe dele ligou para um de nossos amigos e disse que ele tinha deixado um carta falando que não aguentava mais as pressões do dia a dia, que estava com depressão, se sentia só e que queria pôr fim naquela dor. E ponto!  Ele tinha 24 anos…

Fiquei me perguntando por um tempo, como alguém que era a alegria em pessoa podia estar com depressão? Alguém que vivia rodeado de amigos podia se sentir sozinho? Que dor era aquela que ele sentia?

Com o tempo, fui esquecendo… até acontecer de novo. Outra pessoa próxima… só que dessa vez, estava um pouco mais atenta. Consegui ver que no final das risadas, havia aquela tristeza bem escondida. Ele já não participava das conversas – ele estava lá, mas seu pensamento realmente não estava. E seu olhar foi o que mais mudou. Não tinha mais “aquele” brilho. O olho dele era de um azul que só de olhar, você ficava hipnotizada.

Não fui a única a perceber, mas já era tarde demais, a gente falava com ele e ele meio que ignorava, tentamos por algum tempo. E nada. Até que o pior aconteceu…

As vezes eles até tentam conversar, dão indiretas – quase diretas – e seus pais nem reconhecem… “ah… a adolescência é assim mesmo, crise existencial todo santo dia…” NÃO!!! Escutem seus filhos, fiquem atentos ao seu comportamento, participem de sua vida.

Por isso repito… fiquem atentos aos seus amigos, filhos… são os pequenos detalhes que fazem a diferença. Uma conversa, um carinho, um cuidado… Isso pode salvar uma vida!!!




Como fazer para conciliar Redes Sociais com Emprego

Recrutadores perceberam que o monitoramento das mídias sociais é uma das mais valiosas ferramentas de pesquisa para conhecer o perfil do profissional que querem contratar, ou mesmo dos atuais funcionários de sua empresa –  e o resultado do que encontram  ao navegar, pode mudar a opinião acerca de muitos deles, mesmo que possuam um ótimo currículo.

Abaixo um guia básico para te ajudar a não se dar mal por conta de seu Facebook e outras redes. Mas vou usar essa rede social específica pois engloba tudo – fotos, vídeo, opiniões, comentários…

  1. Coloque uma boa foto no perfil – é o seu cartão de visita. Selecione uma foto que transmita uma boa mensagem e que seja bem vista, trazendo boas impressões. É aquele ditado que minha mãe sempre usa, “a primeira impressão é a que fica!”
  2. Não seja radical – seja cuidadoso ao comentar e dar sua opinião sobre determinado tema. Nem pense em ser racista ou preconceituoso achando que isso é “se colocar”.
  3. Publique coisas interessantes e construtivas – isso ajuda o recrutador a entender seus interesses.
  4. Sem poluição visual – não compartilhe tudo o que aparece no feed. Lembre-se da dica acima.
  5. Seu dia-a-dia e vida pessoal – rede social não é como nosso diário (sim, eu ainda uso, vocês também?). Claro que não precisa deixar de postar uma ou outra coisa que goste e curta, mas há limites.
  6. Cuidado com a ortografia – imprescindível.
  7. Informações acadêmicas – aproveite o espaço para colocar dados sobre onde estudou , que projetos tem, e atividades que realiza que podem tornar seu perfil mais atraente.

 

Antes de postar qualquer coisa, pense duas vezes e pergunte a si mesmo o motivo e o benefício que aquela informação pode trazer. Os recrutadores pesquisam as redes sociais para ver se a forma como  você se descreveu na entrevista bate com a maneira que você se “comporta” na real – ainda que virtualmente…

Espero ter ajudado. Comentem ai…

 

 

 




Soneca depois do almoço

De acordo com o Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos, aproximadamente um terço dos adultos no país não dorme as oito horas de sono recomendadas por noite, causando um mega prejuízo para as empresas.

Os próprios médicos confirmam que aquela nossa vontade irresistível de tirar uma soneca depois do almoço faz super bem só  30 minutos de soninho, ajudam a enfrentar o resto do dia. E  proporciona um melhor desempenho, tanto intelectual como profissional. Acreditem melhora  até a saúde do funcionário!

Em países mais desenvolvidos, e algumas empresas essa prática já acontece há algum tempo:  a empresa Google, já reserva um espaço da “soneca” para seus funcionários. Na China, por exemplo, os trabalhadores reservam uma hora após o almoço para tirar um cochilo antes de voltarem a trabalhar (será esse o segredo de eles produzirem tanto?).

Na Silence Business Solutions, empresa francesa, há nada menos que doze ambientes de luz e som programados para guiar o funcionário durante uma soneca de 15 minutos ! E inclui também em sua estrutura uma cama pequena e confortável (olha que sonho!!!).

No Brasil,  moda ainda não” pegou”. O cochilo após o almoço, nas dependências da empresa é visto como não produtivo nas cidades grandes, como São Paulo e Rio de Janeiro. Mas  em cidades do Norte do país – como Belém, no Pará onde o calor impera – acontece, e com consentimento do patrão.

No centro de São Paulo você até encontra lugares que cobram de R$ 12 e R$ 25, para que seus cliente durmam de 15 minutos à 1 hora. Mas pensa… olha o trabalho que dá sair da onde você está só para dormir??? Aff, cansei só de imaginar.

Acho que nem as empresas mais ‘moderninhas’ aceitam que seus funcionários durmam no serviço. E isso é muito ruim, funcionários descansados, trabalham mais felizes, de bom humor e produzem mais. E falo por experiência própria. Há uns quatro anos atrás, na empresa em que trabalhava, tinha duas horas de almoço, usava pelo menos uma delas para dormir. Eu entrava muito cedo e saia muito tarde – era hora extra demais – e conseguia levar numa boa. Meus chefes nunca falaram nada –  até me deram um travesseiro!

E vocês, gostariam de poder tirar uma sonequinha depois do almoço? Me contam…

PS – Por falar em sono, no post de sexta feira, vamos dar dicas para quem vai na balada e tem que trabalhar no dia seguinte – praticamente um guia pra mim…




Cannes – Um festival de Fendas


 

Verdade que, desde sempre as atrizes e modelos parece que se inspiravam na liberdade da praias da França para exibir mais do que o normal de suas lidas silhuetas.

Bella Hadid (na foto acima), em 2016  virou a cabeça de todos na premiere da Unknown Girl, em Cannes. Ela usava um vestido de alta costura Alexandre Gauthier, criando um visual que os comentaristas comparavam a Jessica Rabbit.

O festival de cinema de Cannes, na França, é um dos mais importantes e emblemáticos e nesse ano a brasileira  Alessandra Ambrósio – dominou o primeiro dia nesse vermelho e o segundo, vestindo branco, mas também com fendas enormes como se vê nessa foto abaixo.

Entre as muitas tendências deste ano, não resta dúvidas de que as fendas ficaram ousadíssimas – e muitas vezes beirando o ligeiramente sem noção…

A cantora Selena Gomez (abaixo) fez sua estreia no tapete vermelho do evento. Tudo muito estruturado e certinho, acabou deixando o visual carregado – considerando a juventude da moça não acham?

A atriz Romee Strijd, abaixo arrasando – foi uma das que extrapolou; apesar de linda e usar um vestido de renda espetacular, a fenda não combinou com o decote: ela até que pode tudo – mas tira o foco do seu lindo e perfeito rosto!

 

A atrizes Eva Longoria, acima também surgiu com um vestidos tomara-que-caia de fendas reveladoras – mas até que discreto comparado ao que foi visto. E Carla Bruni (abaixo) super na medida, acabou lacrando com uma fenda mais discreta no modelo grafite de um ombro só: provando mais uma vez que menos (fendas e decotes) é mais (nesse caso elegância e charme)… Não acham?




Como fazer para usar aplicativos que ajudam com Bagagem de Mão

Começou a fiscalização e depois do dia 23 de maio não terá mais volta. Bagagens de mão só serão aceitas com 55cm de altura, 35cm de largura, 25cm de profundidade. E com, no máximo 10kg! Os padrões são estabelecidos pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA). Passageiros com bagagens acima do permitido serão orientados a despachar e até podem ser cobrados por “valor extra”.

Para que isso não aconteça bem na hora que você tem que embarcar, existem algumas ferramentas para ajudar.

 

 

 

 

 

 

No Kayak (aplicativo que compara preços de passagens tanto para IOS quanto para Android), no dispositivo “Nova ferramenta de medição de bagagem”, o usuário scaneia o chão – calibrando assim a medição -, passa a câmera na sua mala para registrar as medidas. Com isso, a tecnologia mostra as medidas exatas e ainda compara os preços caso tenha taxas extras conforme a Companhia Aérea.

 

Já o Momondo (IOS e Android), criou o “Digitar suas malas” que usa a realidade aumentada para a medição da bagagem de mão. É só mover a câmera em volta da mala. Fácil, fácil!

O Medida, somente para IOS – a partir do iPhone 6S – pode medir a área e o volume de objetos (não somente bagagens)

As companhias aéreas não ficaram de fora… elas também tem ferramentas para ajudar seus clientes.

A LATAM, em seu aplicativo, oferece uma espécie de “gabarito virtual”, onde também usa realidade aumentada para que o usuário – passageiro – molde sua bagagem de acordo com as medidas mostrada na tela.

Não gostei das mudanças. Por que em vez de se preocuparem com o tamanho/peso de nossas bagagens, eles são se preocupam com o tamanho do espaço entre as poltronas. Pois, pelo amor de Deus, alguns passageiros ficam bem apertados durante as viagem…

O que acharam? Se descobrirem mais aplicativos, comentem aqui …