O que aprendi com Harry Potter

Que Harry Potter foi, e para mim ainda é, um fenômeno mundial, não há o que negar. Mudou uma geração (me incluo aqui, sou louca apaixonada!). Li a primeira vez, aos 12 anos, mais pela história do universo mágico. De tempos em tempos volto a ler, agora com um olhar mais maduro, mais “adulto” e percebi quanta coisa JK Rowling quis nos passar ao longo da Saga.

Vou compartilhar com vocês algumas das lições que mais me marcaram:

  1. O amor é o nosso bem mais precioso: a lição mais básica de todas. Ninguém consegue viver ser amor;
  2. A amizade é poderosa: cultive os verdadeiros amigos e saiba em quem confiar. Com eles ao nosso lado a vida fica bem melhor. Ela já é difícil, com amigos para ajudar, ela fica mais fácil e divertida;
  3. Não desistir: e seguir em frente sempre. Somos fortes o suficiente para isso;
  4. Enfrentar nossos medos: temos que arriscar e sermos corajosos. Encarando o medo de frente, percebemos que ele não era tão assustador assim;
  5. Lutar pelo que se acredita: mesmo que seus amigos/família não apoiem você. É difícil (e quem disse o contrário?), mas defenda suas crenças, ideias e ideais.
  6. Nunca deixar de aprender: além da Hemione nos ensinar como falar certo o feitiço de levitação “Wingardium Leviosa” – rindo muito lembrando da cena – ela nos ensinou que conhecimento nunca é demais. É o que separa pessoas incríveis das pessoas comuns;
  7. Respeitar as diferenças: vários personagens sofreram preconceitos. Os bruxos nascidos trouxas (não bruxos), Hagrid por ser meio gigante, os Wesley por ser de uma classe social baixa, Luna por ser gostos peculiares… essa divisão e preconceitos quase destruíram o mundo. JK nos ensinou que respeito e empatia com todos é o básico para a convivência. Que só com a união de todos é que conseguimos evoluir;
  8. Tentar melhorar sempre: o que hoje é certo, amanhã pode não ser mais, e tudo bem mudar de opinião, se isso for fazer de você alguém melhor;
  9. Ações tem consequências na vida: se você for fazer parte na vida de alguém (e você vai!), faça isso de uma maneira produtiva, para que as lembranças sejam boas e as experiências positivas;
  10. Não julgue: pois muitas vezes estamos enganados. Simples assim! Só um nome – SNAPE – odiamos o cara a saga toda, para descobrir no final, a pessoa incrível ele era.

Essas são só algumas, existem muito mais. Se vocês quiserem, venho com mais depois.

Ah, leia bastante. Livros sempre nos trazem alguma lição!

 

 




Fico: A Disneylandia dos Alimentos – coisa muito séria!

De olho no “motor” da economia italiana – os produtos alimentícios – o empresário Oscar Farinetti acreditou e investiu pesado nisso.

Há alguns anos, vendeu uma cadeia de supermercados que herdou do pai, e fundou em 2004 a Eataly, empresa que exporta produtos agroalimentares para lojas e restaurantes de todo o mundo que, em pouco tempo tornou-se uma rede com pontos em várias metrópoles entre elas Nova York e São Paulo.

Farinetti virou um herói vivo para os italianos – ainda mais depois que inaugurou “Fabbrica Italiana Contadina” (Fábrica Italiana Camponesa), mais conhecido como Fico Eataly World, na Bolonha.

É um parque que ocupa uma área de 10 hectares – 8 cobertos por 44 mil placas solares e 2 estão ao ar livre com plantações e criação de gado, ovelhas e outros animais.

 

A visita ao parque – maior shopping center agroalimentar do planeta –  reúne restaurantes, workshops e exibições didáticas para todas as idades. Pode ser feita a pé (acho que uma hora vamos nos cansar), em triciclos equipados com cestas de compras (ok) ou com o trenzinho que atravessa toda a área (minha melhor escolha). Tanto que os franceses estão chamando de Disneylandia Gastronômica! Que honra, não é?

Aí  penso: será que não seria possível fazer um desses por aqui, no Brasil? Olha a nossa riquíssima e variada culinária, nossos ingredientes exóticos, poderosos e exuberantes. Nossos frutos, raízes e especiarias e peixes – sejam de regiões amazônicas, o cerrado ou os pampas, isso só citando alguns. Bom, espaço também não nos falta, sem falar nos cenários… e o clima? Mão de obra tenho certeza que não iria faltar também.

Mas falta aqui um Oscar Farinetti, alguém que consiga reerguer nosso enfraquecido espírito de equipe e Pátria. Somos tão grandes, tão ricos e tão encolhidos, que sequer acreditamos mais que seja possível uma chance assim.

Mas voltando a falar de coisa boa: quem for a Bolonha, na Itália, não deixa de ir visitar a Fico Eataly World, é diversão garantida para todas as idades e temperamentos! Com certeza vão amar…

 




Meghan Markle – Quebra de tradições

Outra tradição que provavelmente quebrará é a de aparecer sorridente para fotos na saída do hospital, apenas algumas horas depois do nascimento. A Duquesa quer somente curtir o momento com seu pequeno, sem pressão.

Essa NÃO aparição é aprovada por muitas mulheres, inclusive pela CEO da Fridababy, Chelsa Hirschhorn, por meio de uma carta aberta publicada no “The New York Times” e nas redes sociais. Na carta, a CEO aconselha a Duquesa de Sussex a evitar desfilar fora do hospital com seu filho, para não incentivar em outras mulheres expectativas inatingíveis, criando a sensação de que todas podem se recuperar tão rápido.

Mulheres…! Nós sabemos que nenhuma recuperação pós parto é assim “tão mágica”. Demora, para algumas menos que em outras, mas demora! E temos direito a nosso próprio tempo – sem exposições e cobranças, certo?

Chelsa acrescentou ainda que, se a futura mamãe não conseguir quebrar a tradição, que ao menos apareça “mais real”.

Agora é esperar para ver o que a Duquesa de Sussex irá fazer…

 




Brindes – Pegar ou largar – Programa Mais Você – Rede Globo 29jun2018

https://youtu.be/JfUtEkp5QSQ