Como fazer um casamento acessível – e mais divertido para todos

Algumas medidas e adaptações são fundamentais e permitem que seus convidados aproveitem muito mais o evento! E acessibilidade não é um bicho de 7 cabeças, apenas é preciso mais atenção e foco em outro tipo de necessidade que vai  muito alem da decoração do docinho ou da cor da lembrancinha. Mas com boa vontade e mente aberta um casamento acessível a todos também fica muito mais interessante para todos!

Local – é essencial (e básico mas muita gente esquece) que o local da cerimônia e da festa, tenham alternativas como rampas e elevadores.… e esqueça  escada no altar se os noivos ou mesmo um dos padrinhos é cadeirante certo? A pessoa com necessidades especiais precisa ter um mínimo de independência e autonomia em seu período de permanência no local e ainda mais exposta a todos. O lugar precisa atender as suas necessidades e de seus convidados.

Acesso – recomendo a visita aos locais, simulando o caminho por onde o convidado irá passar e observe tudo com muita cautela. Em caso de dúvida, questione o cerimonial (contrate um, em festas assim é mais  importante!). Se puder e tiver intimidade  leve com você o convidado com deficiência ou consulte-o detalhadamente para prever as limitações e/ou providencias.

Banheiros – devem estar instalados de forma adequada, com acesso sem degraus, com barras de apoio e área de aproximação adequada.

Decoração – oriente o decorador sobre a presença do convidado em especial, para evitar transtornos, como obstrução de passagens, e eventuais  “armadilhas”. Não tenham vergonha! Questione, simule as situações que possam ocorrer, veja se os arranjos que o decorador pretende colocar estão num lugar adequado (melhor não ter nenhum no chão), se algum tapete será colocado em algum local inadequado, se os corredores terão a largura suficiente. Melhor ser taxado de chato pelos seus fornecedores do que passar por uma situação constrangedora no dia em questão.

Cerimonial – tudo o que acontecerá na festa precisa ser informado ao cerimonial, inclusive a presença de pessoas com deficiência. Nesse caso, o cerimonialista irá observar o acesso aos locais da festa e providenciará a reserva de um local mais confortável para acomodar o convidado como,  por exemplo, bancos da igreja em corredores mais amplos, mesas próximas dos corredores, pista de dança e banheiros… Além disso, o cerimonial poderá ajudar na tomada de decisões e na orientação dos fornecedores.

Pergunte mesmo – converse com o convidado, pois, com isso, podem ser obtidas orientações sobre o que é necessário e o que é dispensável. Afinal, pode acontecer de os donos da festa se preocuparem excessivamente com alguns detalhes menos importantes e, de repente se esquecerem de outros que comprometam de verdade a diversão e mobilidade de seus amigos.

É preciso ter atenção e alguns cuidados para que todos os convidados se sintam acolhidos e aproveitem o melhor da festa… Nos casamos com uma pessoa, mas comemoramos com muitas!




Claudia Matarazzo e Meseiras do Brasil –

 




Como fazer um mini wedding, casar e arrasar!

O que caracteriza esse estilo de cerimonia é o fato de ser um casamento mais intimista, aconchegante e com muita proximidade entre os noivos e convidados (até 100).

Mesmo com o tamanho reduzido, um mini wedding, tendência mundial há já alguns anos, exige diversos cuidados na preparação e organização.

Veja algumas dicas, caso seja essa a sua escolha:

Lugar – clima intimista, com toque caseiro mesmo. Pode ser realizado em locais menores e/ou  com significado especial. Para casais que não querem ter muito trabalho, um bistrô ou restaurante charmoso unem o útil ao agradável. Com clima descontraído, uma pousada na praia ou um sítio criam uma vibe romântica.

Lista de convidados – família e os amigos mais próximos. Não fiquem constrangidos ao deixar de convidar o crush da amiga. No convite, fale para os seus convidados não levarem acompanhantes fora da sua lista

Os convites personalizados é muito legal. Já que a quantidade é reduzida, podem acrescentar detalhes exclusivos para cada convidado.

O vestido da noiva, e trajes em geral- a noiva pode usar vestidos menos tradicionais e clássicos. O mesmo princípio vale para o noivo e convidados. Tecidos mais fluidos, cores mais claras – vale tudo para suavizar o visual e trazer a sensação de conforto e acolhimento.

Decoração – conte a história do casal por meio de fotos e de objetos decorativos sentimentais. Invista em flores e numa boa iluminação – trazendo um ar romântico descolado – mas ainda chique para a cerimônia. Monte uma linda mesa comunitária (que tal usar itens de louça ou prataria que pertenceram a sua avó ou al alguém muito querido?).  Arranjos florais singelos com flores do campo ajudam a garantir o clima de evento familiar.

Comida e bebidas – porções individuais são escolhas apropriadas. Bufês temáticos também funcionam. No que diz respeito as bebidas, procure servir um leque amplo de bebidas e drinques.

A mesa de bolos – pequenos exemplares com visuais e sabores variados, dispostos entre os docinhos e a decoração. Claro que se quiser o tradicional, não tem problema, afinal, um bolo branco de andares enfeitado com flores de açúcar e um bom espumante nunca saem de moda!

Fotos e vídeo – as imagens  feitas pelos convidados garantem descontração e diferentes ângulos para uma mesma cena, mas não dispense o olhar treinado de bons profissionais.

Música – depende do estilo dos noivos e do ambiente do evento. Casais animados podem optar por uma pequena banda ou pela contratação de um DJ com playlist previamente selecionada por eles. Para noivos mais tradicionais, a fórmula voz e violão ou um trio de músicos de jazz são opções interessantes.

Lembrancinhas – significativas e personalizadas. Como é para menos gente, fica mais fácil fazer isso e envolver todos os convidados nesse momento tão especial.

Pessoalmente, amo exclusividade e menos exposição . E vocês o que preferem: um Mini Wedding ou aqueles casamentos grandes e tradicionais?

 




Como fazer uma festa ecológica – e econômica

 Evite louça descartável, investindo em um conjunto extra de pratos e talheres de uma dessas lojas de segunda mão. Foto: Peter Huggins / Alamy

Amo festas! Qualquer motivo é motivo pra comemorar…EU gosto mais quando elas acontecem durante os meses de primavera e verão. Sob o sol quente com bebidas geladas e conversas… as festas rapidamente se espalham para os piscinas e quintais. Vou mostrar como é fácil e simples montar uma festa assim, “ecologicamente correta”.

CONVITE

É só criar um evento no Facebook ou enviar um simples e-mail. Os convites virtuais também nos permitem acompanhar os RSVPs (amigos, respondam, ajuda muito rsrs), interagir com convidados e fornecer informações clicáveis ​​sobre o evento.

LOCAL

Procure um espaço ao ar livre, como um parque, clube ou mesmo um quintal, e aproveite o espaço para botar a diversão ecológica em prática. Além disso, uma festa a luz do dia reduz o consumo de energia elétrica.

DECORAÇÃO

Deixe a criatividade rolar, utilizando todo tipo de material ecológico e reciclável.

O QUE COMER?

Algumas opções são os espetinhos de frutas e os petiscos de legumes frescos com opções variadas de molhos. Outra boa pedida é substituir os refrigerantes por sucos e smoothies. Use “suqueiras” com torneirinhas, que, além de práticas, dão um charme a mais.

DESCARTÁVEIS

Esqueça os descartáveis! Use utensílios tradicionais de louça, que além de ecológicos são muito mais elegantes. “Mas eu tenho crianças!!”, ok, use acrílico, por ser mais resistentes, podem ser lavados e aproveitados em outras ocasiões.

E a, gostaram dessas dicas? i




Mesas, Meseiras, Table Décor e Cerimonialistas

 

As Meseiras – resgataram o prazer de montar uma mesa dedicando a isso tempo – para que refletisse através de detalhes (e com beleza) o carinho e importância contido em uma reunião, partilhando uma refeição ao redor da mesa.

Em poucos anos – e alavancando um importante nicho de mercado tanto de vendas quanto de eventos – as Meseiras formaram grupos em seus estados mesmo fora deles. Além de valorizar o convívio em família e amigos. Mesaposta  voltou a ser assunto sério .

Mas é preciso entender os outros conceitos:

Cerimonialista – no conceito amplo e correto da palavra, é a pessoa que participa de um evento desde o seu planejamento, acompanha a montagem e participa do mesmo até o final – coordenando ou em outra função específica.

Precisa, para isso, conhecer o Decreto Federal e o Protocolo Internacional também no que se refere a eventos. Ou seja, tem uma sólida formação técnica que lhe permite exercer a função.

Dentro desse conceito, um Cerimonialista entende de Mesaposta pois precisa conhecer precedência, acessórios e plano de mesa para montar, por exemplo, um jantar entre autoridades.

O contrário não se aplica: Meseiras, não tem obrigação de conhecer Cerimonial em profundidade mas, (e aqui faço um apelo a todas elas) devem se esmerar para entender e aplicar as regras de Etiqueta sem extrapolar nem se entregar a muita experimentação!

Explico: levamos séculos para aprimorar a Mesaposta que tanto apreciam mas,  por excesso de entusiasmo e as vezes por desconhecimento, vejo abusos sobre a mesa de algumas meseiras mais entusiasmadas. Muita calma…

Table Décor– é preciso separar as coisas: mesaposta é uma coisa – aquela que usamos em casa e para comer de verdade e partilhar momentos. Table Decor é aquela mesa montada em vitrines ou exposições para vender – e aí vemos excesso de itens, cascalhos e florestas montadas no centro da mesa (que em ambiente doméstico ou para comer não se justifica).

As duas fotos abaixo por exemplo estão lindas para expor itens e acessórios. Mas reparem nos excessos: arranjos de flores e velas muito altos e, na da direita o vasinho (que não deve estar sobre o prato) sobre outro pratinho e uma cumbuca que provavelmente não será usada … Ou seja, uma mesa pensada para a foto mas, certamente inconveniente para esse comer na pratica

Como o nome diz: é uma mesa decorativa. Mas na prática inviável para refeições – principalmente as oficiais ou mais formais.

E agora vejam a diferença da mesa abaixo montada para um almoço ao ar livre na Casa do Anfitrião em São Paulo: com exceção das flores, todo o resto ali tem uma função e lugar especifico. Isso, assim como as duas fotos que abrem esse post, é Mesaposta.