Como fazer um bom drinque – e dar um show em sua própria casa

Para aprender a fazer bons drinques é preciso antes conhecer os ingredientes e suas combinações – assim como na química que podem resultar.

Segundo Derivam Ferreira de Souza, várias vezes campeão internacional de coquetelaria, os drinques podem ser:

estimulantes de apetite – aperitivos para antes da refeição;

digestivos – para serem degustados depois;

– nutritivos – os ricos em calorias;

refrescantes – com muito gelo, bebidas gaseificadas ou sucos;

estimulantes físicos – que aquecem o corpo e levam água – quente, destilados e condimentos.

Outros ingredientes – além das bebidas, outros elementos são essenciais para a boa coquetelaria. Procure manter-se sempre bem fornecido de:

  • sal;
  • pimenta do reino;
  • canela em pó;
  • azeitonas verdes;
  • cebolinha em conserva;
  • cerejas em calda ou ao marrasquino;
  • hortelã fresca;
  • molho inglês;
  • molho de pimenta vermelha;
  • frutas (abacaxi, laranja, maçã, limão);
  • noz moscada;
  • sucos ( laranja, limão, tomate, maracujá, caju);
  • salgadinhos para acompanhar.

Ok, até aqui falei muito dos elementos necessários e menos de como preparar e servir as bebidas. Mas, com o perdão do trocadilho, este foi só o aperitivo. Veja em um próximo post, as receitas dos drinques mais consumidos.

 

 

 

 




Homens de Preto – além do Comendador da Globo

alexandre-nero-imperio

A tentação é grande, afinal, parece tão mais simples ter uma cor só no guarda roupas e não ter de quebrar a cabeça… Por isso, quando a moda começou apresentar looks em preto para os homens, eles acharam uma grande a solução! Mas calma. Nem tudo é exatamente como parece.

  • Terno preto não é pretinho – embora muita gente ache que é o equivalente ao pretinho curinga das mulheres, não é bem assim. Um terno preto é formal e requer sobriedade e não aceita muitas variações – ao contrário do nosso pretinho que vai do formal ao esportivo vanguarda.
  • O preto pode ser moderníssimo – ok, o estilista Karl Lagerfeld, da Maison Chanel, sabe usar um modelão preto e ousado como ninguém. Mas ele é fashion. Na vida real é muito mais difícil ser um macho elegante só de preto sem pesar a mão…
  • Você não é personagem – por conta de filmes em que gângster e mafiosos abusaram dos modelos grafite e pretos com risca de giz, há uma convenção de que homens de terno preto (ou com tudo preto) são mais poderosos – e perigosos. Pode até ser. Mas será uma ideia tão boa assim refletir esse tipo de imagem o tempo todo? Melhor deixar para quando precisar ou quiser impactar…
  • Combina com tudo em qualquer horário – não combina, não. Há uma convenção – falando de elegância em um padrão internacionalmente aceito – de que ternos escuros (e o preto em especial) são usados mais à noite e/ou em dias mais frios. Sem falar que é um visual pesado (e quente) para nosso país tropical – simples assim.

Finalmente, tudo preto pode passar uma imagem de excesso de seriedade sisuda – e não apenas confiável. Precisa mesmo?

Ok. Você não se convenceu e ainda acha que ao aderir aos ternos pretos, vai ficar parecido como o Alexandre Nero, em Império – com mais chances de chamar a atenção de uma ruiva tão linda ou mais do que a Mariana Ruy Barbosa, seu par romântico na novela.

Vá em frente e mergulhe no negro. Mas não reclame se, no meio de sua performance social, alguém o confundir com o segurança.

 

 




Gafes da Claudia

Relato aqui duas das minhas preferidas, com o finado e elegante Governador Claudio Lembo, em cuja gestão fui nomeada a convite de José Serra, que o sucedeu.

Rainha Elizabeth II – Visita a Campinas, São Paulo 1968 (foto: mre-gov.br)

O quarto da Rainha – em minha primeira visita ao Palácio, Claudio Lembo, gentilmente, fez questão de mostrar todas as dependências  do Bandeirantes.

Na ala Residencial, estávamos no dormitório em que pernoitou, na década de 60, a Rainha Elizabeth II do Reino Unido, até hoje chamado de “quarto da rainha”. Que poderia ser chamado “quarto do monge”, tal a frugalidade mobiliária.

Quando me falou que sua majestade havia ficado hospedada lá disparei:

“Credo Governador, a Rainha ficou aqui?! Mas parece um Ibis!” falei, referindo- me a cadeia de hotéis famosa pela sua simplicidade funcional.

Perplexo com a comparação ele perguntou espantado e divertido: “É muito grave?”

Acabamos rindo juntos, concordando que hoje, os quartos modernos dos Ibis saem ganhando disparado do quarto da Rainha.

Posse do Governador José Serra 2007 – Assembleia Legislativa (foto: Arquivo do Governo do Estado de São Paulo)

A 1ª Posse- Sorte de Principiante – minha primeira missão importante no Palácio dos Bandeirantes foi organizar a posse do Governador – que ocorre no dia 1 de janeiro.

Para os que organizam é um mico sem fim por um motivo técnico seríssimo: na véspera, há comemorações de grande porte por toda a cidade, estado e país – por conta do Réveillon e todo o tipo de serviço (montagem, som, iluminação, bufê, garçons, recepcionistas – tudo!) fica comprometido.

Durante a Posse tudo é importante: o discurso do Governador eleito, sua aparência, quem ele cumprimenta, encontra e/ou conversa. Quem está presente (e de quem notou-se a ausência) …

Sabendo da delicadeza da missão, pus-me a trabalhar focada no envio de convites, preparação etc. Estávamos no dia 26 de dezembro quando recebo um telefonema do Governador Lembo: “Você esqueceu de mandar um convite”

“Pode dizer Governador, quem faltou?”. Adrenalina a mil, pois diariamente recebíamos nomes de pessoas que não poderiam ser esquecidas. Levei um choque quando ouvi: “Eu. Até hoje não recebi nada”

Gafe! Aflitíssima consultei Dalva há 28 anos à frente do mailing do Cerimonial. Que respondeu calmíssima.

“Não cabe o Governador receber convite, ele está convidando para a festa do Governador eleito Serra, o evento é em sua Casa aqui no Palácio, não teria porquê receber…”

Consciente de que havia sido vítima de uma pegadinha, subi ao gabinete para apresentar o convite ao Governador .

Ele, por sua vez  examinou tudo longamente, elogiou papel, formato e cada detalhe do texto, sempre com um olhar meio travesso. “Gostei” – disse finalmente –  “pode mandar.”

Saí da sala atarantada: mandar para ele? Os demais haviam sido expedidos há semanas… Só no meio da noite – insone – entendi a mensagem. Lembo, a sua maneira elegante, me fez entender com toda sutileza que, com a correria, eu havia ignorado uma regra de cortesia básica: mostrar o convite ao dono da festa para sua aprovação…




BRUSCHETTA FÁCIL DE CEBOLA ROXA

Feriado prolongado chegando e isso pede uma receita fácil e rápida para degustar em casa mesmo, preguiçosamente instalados em nosso próprio conforto. Compartilho essa, uma das mais gostosas que experimentei em umas das  minhas viagem a Itália.

Pão é um dos alimentos mais completos e gratificantes – dá conforto e energia, além de ser barato e facilmente reciclável: no dia seguinte bastam alguns minutos no forninho para devolver a crocância e perfume – dignos dos melhores couverts de restaurantes, como o Alfredo de Roma.

Já a cebola roxa e o tomate – são ultra saborosos e naturalmente complementares, certo?

Não é à toa que em festas populares – como as de San Gennaro ou da Achiropita – o forte são todo tipo de salgados que nunca dispensam esses ingredientes!

E taí a receita – fácil e flash – de uma bruschetta deliciosa para saborear de aperitivo ou mesmo como entrada  – para abrir qualquer refeição informal.

RECEITA FÁCIL DE BRUSCHETTA DE CEBOLA

Fatie uma cebola – roxa ou não – e coloque sobre uma rodela de pão italiano previamente pincelada com uma pasta de tomate amassado, com um pouquinho de alho, sal e azeite.

Uma folha de manjericão e pronto! Você terá todos de joelhos, enquanto saboreiam sua receita.

 




Quais mudanças se consolidam?

Muita gente tem me perguntado como fica isso ou aquilo em relação a comportamento e relacionamento profissional etc. Reuni aqui as principais dúvidas para um “balanço 20/21” – pois haja mudança!

O que vai continuar valendo em termos da etiqueta? – a etiqueta no século 21 não decorre mais da necessidade de identificar grupos e classes sociais: ela existe para facilitar a comunicação em um mundo cheio de excessos virtuais: da superexposição, as fake news, é preciso um código de relacionamento.

Essa comunicação mais agradável, personalizada e elegante é uma forma segura (como sempre foi) de melhorar relacionamentos pessoais – hoje deteriorados pela comunicação a distância e pelas redes sociais, ora  frias demais ou acaloradas e extra polarizadas.

Sustentabilidade, inclusão e resiliência – pense nessas 3 palavras como os pares para as 3 que sempre foram os pilares da Etiqueta: bom senso, naturalidade e bom senso.

Como ficam as perdas das Mulheres decorrentes da pandemia? – perdemos: seja empregos, tempo de qualidade, receita e, o mais trágico, muitas vezes pessoas amadas.

A boa notícia – estamos acostumadas a resistir. E continuaremos assim. As mudanças no campo “casa e família” são as mais sensíveis: a casa virou escritório e escola, onde todos são obrigados a conviver, ceder, respeitar mais os espaços e horários e, palavra mágica: tolerar.

Ora, em casa sempre nos foi permitido mostrar nosso lado sensível, criativo etc. Os homens, finalmente em casa e libertos de rótulos, têm se divertido muito no universo. E, em muitos casos, entregando resultados surpreendentes!

Não resista: invista!  – é isso aí! Aguente um pouco da invasão aos seus espaços e do “modus operandi’ diferente, mas foque no resultado; pode ser extremamente gratificante e te libertar de uma série de tarefas e responsabilidades…

Aqui ganhei um chef de mão cheia! Negociamos e agora, compras e todas as refeições – são por conta dele. Ganhei mais qualidade em cada momento a mesa e, claro, não tenho que ouvir que “prefiro isso ou aquilo”…

É um exemplo bobo, mas no geral, mudou a dinâmica do dia a dia para melhor…

Como fica a Mesa com a queda de eventos e restaurantes trabalhando em horários reduzidos? – eventos já estão voltando aos poucos – e falaremos disso mais para frente, mas a Mesa tornou-se  mais do que nunca a vedete e o ponto alto dos encontros – sociais e profissionais. Massss… a mesa em casa. Não mais mega mesas de megaeventos. Pense nisso!

Em nosso portal de cursos online aumentou muito o interesse pelo tema “Mesa” e a febre das Meseiras (há já alguns anos) resgatou a mesa de Casa que reúne amigos e família.

Hoje homens e mulheres têm interesse nisso, pois não é uma Mesa fútil, mas uma Mesa onde pode-se fechar negócios, fazer networking e, claro em casa,  melhorar a qualidade de lazer e a convivência em família. Pense nisso e boas mudanças.