Como fazer para criar filhos com sentimentos positivos!

Em um mundo cada vez mais competitivo é importantíssimo que as crianças entendam e saibam lidar  com todo tipo de emoção.  E o desafio começa em casa, com o comprometimento dos pais/responsáveis.  Cabe a eles ensinar nossas crianças a administrar suas emoções- ruins e claro também as boas.  Não se pode delegar a tarefa às escolas nem acreditar que os professores resolverão esse assunto tão importante para  toda a vida!

Preste atenção nos assuntos que fala com mais frequência – que nossas conversas nos definem já sabemos de modo que, se estivermos sempre reclamando do trabalho ou da situação do país, criaremos um ambiente de tensão e de preocupação que as crianças terão dificuldade de superar. A interpretação do mundo que elas fazem depende de como nós a mostramos. Se precisamos falar sobre um problema, ou falamos sobre o que faremos para resolvemos ou a lição que aprendemos. Ficar ancorado na queixa nos esvazia… e esvazia aqueles que nos rodeiam.

Seja rápido em pedir perdão – ser pais ou ser responsável por uma criança é uma tarefa difícil que muitas vezes nos desperta um sentimento de culpa. Temos dias ruins e nos sentimos mal porque não chegamos a tempo de ajudar nossos pequenos na lição de casa ou simplesmente, para brincar. Nesses casos, vale a pena pedir desculpas. Se queremos que eles nos peçam desculpas quando estão errados, temos de dar exemplo e guardar nosso orgulho em uma gaveta. Dessa forma, fazemos com que eles vivam o erro de uma maneira mais tranquila. e com

Fale sobre as realizações e o esforço – é legal parabenizar as crianças com sinceridade, mesmo que seja pelo desenho que fizeram na escola, um “bolo” de massinha… O reconhecimento deve ser sobre os resultados e o esforço, pois nem sempre eles conseguirão fazer o que querem. Quando as coisas não saem bem para eles é recomendável ajudá-los a usar a palavra “ainda”. Dessa forma conseguimos que treinem a mentalidade de crescimento e as emoções positivas.

Os três agradecimentos do dia – ensine os pequenos a agradeceram, mesmo que do jeito deles, antes de dormir. Três coisas de bom que aconteceram durante aquele dia. E, três é o mínimo…. e com o tempo vai perceber que sempre pode ser mais – pode conferir!?  Pois é: se esse exercício funciona para nos deixar mais otimistas imagine para as crianças…

Meus pais usavam isso comigo e com meu irmão, durante um tempo, eu esqueci (acontece às vezes), mas logo voltei. O interessante também é ensiná-los a sempre ver o lado cheio do copo. Aconteceu uma coisa ruim? Ok… mas olha quanta coisa legal também aconteceu. Pelo menos é assim que eu faço com as crianças da família.

E você, como ensina sentimentos/reações positivas em casa?




Como fazer para ter um discurso positivo e contagiante

É possível melhorar a comunicação sempre!Tanto na vida profissional quanto na pessoal. Tente usar palavras positivas, e veja se (conforme alguns estudos) conseguirá mesmo as coisas com mais facilidade. Diante de qualquer obstáculo, não devemos desanimar e sim, conforme dizem os especialistas evitar expressões tóxicas como:

Isso é muito difícil – esqueça essa frase. Esse tipo de expressão bloqueia seu emocional. O que por si só não é legal, então tente (treine) usar “isso é um pouco mais trabalhoso”.

Não dá para fazer ou é impossível – dizendo isso, você já demonstra má vontade de fazer alguma coisa ou quando está em frente a uma dificuldade. O melhor é dizer: vai dar trabalho, mas vou fazer.

Não, claro que eu posso! – começar a frase com uma negação é um grande vício de linguagem dos brasileiros e muitas vezes é um tiro no pé. Se não quer que seu emocional fique abalado, não use esse tipo de expressão. ” Sim, claro que vou tentar” pode ser bem melhor

Veja bem ou Olha só – essas duas expressões, são muletas estranhas e, se usadas no começo das frases, soam irônicas. Ou pior ainda, para quem ouve, podem ser consideradas, agressivas. Bom, se alguém fala uma frase dessas, soa como se a pessoa estivesse dizendo que você não está vendo a situação de forma clara …

É a tal lei de atração: pensamentos e ações positivas geram coisas positivas. Eu acredito nisso, e estou aprendendo a ver o lado cheio do copo. E você, acredita?




Como fazer para descobrir as Profissões do futuro!

Carreiras ligadas à inovação, sustentabilidade, lazer, saúde, meio ambiente, tecnologia e marketing são as profissões do futuro.

A demanda por profissionais qualificados cresce muito e é preciso estar preparado para o que vem por aí. De repente você já é um profissional do futuro e nem sabia disso…

Detetive de dados – precisará conhecer finanças, matemática e data science – embora  ser um cientista de dados não é necessário. Conhecimentos legais serão uma vantagem.

Facilitador de TI – a função é explorar tendências digitais e criar uma plataforma self-service automatizada para que usuários construam seus próprios ambientes colaborativos. Precisará ser formado em em TI, ciências da computação, engenharia, ciências naturais ou administração de empresas.

Conselheiro de compromisso de saúde – trabalhará remotamente para oferecer coaching individual e conselhos de bem-estar e saúde para usuários de pulseiras inteligentes, que monitoram suas atividades e sinais físicos. Precisará ter experiência com nutrição ou educação física (modalidades esportivas como CrossFit) ou curso de yoga. Entre outras habilidades…

Gerente de equipe humanos-máquinas –  esse é um mix de RH com Professor Pardal: vai desenvolver um sistema de interação para que seres humanos e máquinas “conversem melhor”. Teria que ter formação em psicologia ou neurociência e qualificação posterior em ciência da computação, engenharia ou recursos humanos.

Guia de loja virtual – atendimento ao cliente de maneira instantânea e virtual.  Pode ser melhor? Há quem prefira o presencial mas na hora do aperto…O trabalho é remoto e utiliza realidade aumentada. O candidato precisa ter experiência com vendas, boas habilidades de comunicação, e um bom ambiente de trabalho remoto.

 

 

 




Sem medo de errar no trabalho

Em muitas situações, você pode corrigir o erro ou simplesmente esquecê-lo e seguir em frente. Um erro no local de trabalho, no entanto, pode ser mais sério.

Em muitas situações, você pode corrigir o erro ou simplesmente esquecê-lo e seguir em frente (o que eu não acho muito inteligente de se fazer), pois, cedo ou tarde, o erro chegará até você.

Lembre-se: ao cometer um erro, sua carreira pode depender do que você faz em seguida.

Comece admitindo o erro – não tente esconder. Contar ao seu superior sobre isso, de forma aberta demonstra profissionalismo.

Apresente um plano para corrigir o erro – chegue a uma solução (ou alternativas) antes de ir ao seu chefe. Diga a ele quanto tempo vai demorar para implementar a correção e se existem quaisquer custos envolvidos. A resolução de problemas é uma habilidade de trabalho muito importante.

Não culpe ninguém – cada um da equipe é responsável por seus fracassos e sucesso. O bom seria que se houve algum erro em um projeto, todos fossem falar com o chefe, mas isso pode não acontecer. Assuma a sua parcela de culpa e não comente sobre ninguém!

Não fique remoendo o erro – não esqueça: há uma grande diferença entre assumir o erro e ficar remoendo o erro. E esse último não é saudável. Se concentre em suas ações depois que você cometeu o erro, e não sobre o fato de que isso aconteceu.

 

 




8 curiosidades sobre casamentos reais

… e como todo conto de fadas terminava sempre em um casamento real, vamos ver alguns de verdade e não apenas  restritos a Família Real Britânica – super pop em todo o mundo – mas em monarquias e culturas espalhadas pelo planeta.

Rainha Vitória, do Reino Unido – sabiam que ela foi responsável por criar a tradição das noivas casarem de branco? Quando se casou com o Príncipe Albert de Saxe-Coburgo-Gota, seu vestido de seda branca, enfeitado com rendas e bordado com flores de laranjeira, era bem diferente dos vestidos ornamentados e coloridos que eram a tendência da época entre noivas ricas e pobres. Reportagens de jornais, fotografias e lembrancinhas fizeram com que todos os níveis da sociedade fossem expostos a essa nova ideia de romantismo.

Masenate Mohato Seeiso, Rainha Consorte do Lesoto foi a primeira plebeia a se casar com um integrante da família real do Lesoto. O casamento teria custado mais de US$ 1,5 milhão na época e foi realizado em um estádio de futebol com 40.000 espectadores.

Série “Os últimos czares”, da Netflix

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Czares russos – de 1505 a 1689, czares russos escolheram suas noivas através de um sistema onde jovens candidatas eram reunidas e analisadas, e uma acabava sendo escolhida como noiva real. Quase como esses nossos reality show. Esse sistema de “exposição de noivas” surgiu por vários motivos, entre eles o fato de que as famílias reais da Europa tinham medo de mandar suas filhas para terras distantes.

Rainha Elizabeth II – utilizou vale-roupas (cupons de racionamento de roupas Pós Guerra) para pagar o vestido de casamento com o qual se casou com Philip Mountbatten, no Reino Unido, em 1947. Ela economizou seus cupons para comprar a seda branca e outros materiais que o costureiro da corte, Sir Norman Hartnell, usou para criar seu vestido de casamento.

Jetsun Pema, Rainha Consorte do Butão – usou um tipo especial de kira (um vestido comprido que vai até o tornozelo), conhecida como kushutara, feito de seda pura, que demorou três anos para ficar pronto.

Sua Alteza Real Princesa Lalla Salma, de Marrocos – foi a primeira na história do país a receber um título real oficial. Esposas de reis marroquinos anteriores, incluindo a mãe de Mohammed VI, eram conhecidas como “mães das crianças reais”.

Família Real Sueca – se casam usando uma tiara específica (tiara cameo), que é herança de família, desde 1932.

Princesa Grace Kelly, de Mônaco – seu casamento foi transmitido ao vivo para 30 milhões de pessoas e transformado em documentário como parte de um acordo que o casal real fechou com a MGM Studios.

Curiosidades que além de interessantes, detém muito das culturas  locais e, cada uma é linda a sua maneira! Quais mais gostaram? Comentem!